segunda-feira, 23 de março de 2015

Um recado às mulheres

Olá! Tudo bem?

Hoje quero fazer um desabafo direcionado às mulheres.

Eu como um homem atípico, gosto de romantismo, não sou adepto aos relacionamentos “pega mais não se apega” - se é pra fazer que faça bem feito. Então quando me envolvo com alguém é porque gosto. Com esse diferencial posso me considerar um cara de sorte, pois ainda há mulheres românticas por aí a fora que gostam dessa característica.

Porém, em contra partida, há duas coisas em mim que me incomodam e atrapalham; a coragem e a autoconfiança. Sou um tanto quanto inseguro, e para piorar, empático demais muitas vezes, quando penso em dizer algo que demonstre afeto ou interesse à outra pessoa um “filtro” mental me vem à cabeça e diz “veja bem o que você vai falar”, “tem certeza que vai dizer isso?”, “ela vai te achar um babaca, melhor deixar quieto”, e eu acabo não dizendo nada - esse “filtro” mental possivelmente seria chamado de Superego por Freud. Enfim, o fato é que perdi algumas oportunidades por não ter me declarado a tais pessoas no momento certo.

Até aí tudo bem, sei que tenho minha parcela de culpa e devo trabalhar essas questões comigo mesmo. Mas agora quero ser um pouco determinista e projetar parte dessa culpa no outro lado da moeda; as mulheres. Em nenhuma dessas oportunidades que perdi percebi um interesse mutuo, depois descobri que o sentimento era recíproco, mas a primeiro momento, enquanto me agonizava tentando balbuciar algo legal para “criar um clima” sem obter êxito, a guria nem se manifestou. Em todos os casos percebi uma atitude do tipo “se vira, você quem é o homem e deve me conquistar”. Posso estar falando no calor do momento e sendo um pouco radical, mas a mensagem deve ser uma só independente da maneira como seja dita.

Mulheres, não tenham medo de correr atrás de quem vocês tiverem interesse. Se nós podemos – e para muitos devemos - conquistar uma parceira (o) que nos chame a atenção, vocês também podem demonstrar ao parceiro (a) que estão interessadas, deixando claras suas reais intenções, sem ser vulgar. Sei que para vocês talvez seja difícil explicar por “A+B” que estão afim, mas infelizmente nós somos mais racionais (quadrados) enquanto vocês mais emocionais (subjetivas), logo, entendemos melhor as coisas quando explicadas nos mínimos detalhes. Diferente de vocês, que são mais sensitivas, nós não captamos a mensagem no ar. Sem contar que no quesito conquista vocês são anos luz melhores do que nós, ao passo que em vulgaridade, muitas vezes, somos pioneiros.

Se for pra lutar pela igualdade entre os gêneros, começar por esse ponto me deixaria bastante feliz! (Rsrs...) Talvez com o alcance da homogeneidade de nossos comportamentos podemos equiparar as características dos homens às das mulheres, mas em nossa sociedade machista atual, ainda há muitas disparidades.

(Poema em homenagem ao Dia Internacional das Mulheres)

Mulher


Ela pode ser alta,
Ela pode ser baixa,
Ela pode ser gorda,
Ela pode ser magra,
Ela pode ser branca
Ou pode ser parda.

Ela pode ser mono, bi, tri, poli sexual,
Ou simplesmente ter um relacionamento casual.
Pode dar
Ou se afastar.
Ela pode ter defeitos,
E querer tudo do seu jeito.
Ela pode ir e vir
Ou ficar e insistir.
Ela pode cortar Chanel
Ou cobrir tudo com um véu.
Pode ficar dentro ou fora,
E quando quiser, pegar as coisas e ir embora.
Ela pode gostar,
Caso contrário esnobar.
Ela pode ficar de frente,
Quando não, ficar de costas.

Vestir-se de preto ou de branco,
Sentar-se no chão ou no banco.
Ela pode ser decidida,
Mas se não quiser, depois decidir o que fazer da vida.
Pode vestir uma roupa bonita,
Ou escolher a primeira que estiver por cima.

Independente, imprudente, indecente ou sem dente,
Ela estufa o peito e vai pra frente.
Ela pode esquecer tudo isso
E não fazer nada disso;
Ou acabar com tudo
E virar o lado do disco.
Ela tem olfato e não ofício.

Pouco importa se ela vai sentada ou em pé;
Se vai sem reza ou com fé;
Pois o que importa à mulher
É ser, saber, ter e pensar,
Exatamente
O que quiser.

Parabéns pelo seu dia,
E que ele aconteça todos os dias!

Ayron Barsan                                                   
São Paulo, 08 de Março de 2015.

Obrigado por dispor desse tempo conosco! :)