segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Lendo para os pequenos #1 - A importância da literatura infantil

Acho que já comentei por aqui, mas vou fazer vestibular esse ano para Pedagogia, vou fazer um post só sobre isso futuramente, mas escolhi esse curso porque acredito muito na educação infantil e acho que um bom acompanhamento na infância faz toda diferença no desenvolvimento. Como gosto do assunto e tenho lido muito sobre temas relacionados a criança resolvi trazer o assunto para o blog. Li alguns textos para fazer esse post e vou deixar todos os links no final, assim quem se interessar pode ter acesso ao conteúdo completo.
A literatura infantil é um grande instrumento para que a criança desenvolva a imaginação, emoções e sentimentos de forma recreativa e prazerosa. A leitura na infância também contribui para o desenvolvimento social, emocional, cognitivo, compreensão do contexto em que vive, além de aumentar a capacidade de expressar melhor ideias e sentimentos. Assim, a aplicação de atividades que incentivem a leitura traz muitos benefícios e deve estar presente da vida das crianças, desde bebês.

Segundo Abramovich (1997) quando as crianças ouvem histórias, passam a visualizar de forma mais clara, sentimentos que têm em relação ao mundo. As histórias trabalham problemas existenciais típicos da infância, como medos, sentimentos de inveja e de carinho, curiosidade, dor, perda, além de ensinarem infinitos assuntos. Através da literatura se pode descobrir outros lugares, tempos, jeitos de agir e de ser, outras regras e diferentes pontos de vista.

Neste sentido, quanto mais cedo a criança tiver contato com os livros e perceber o prazer que a leitura produz, maior será a probabilidade dela tornar-se um adulto leitor. Da mesma forma através da leitura a criança adquire uma postura crítico-reflexiva,extremamente relevante à sua formação cognitiva. Quando a criança ouve ou lê uma história e é capaz de comentar, indagar, duvidar ou discutir sobre ela, realiza uma interação verbal, que neste caso, vem ao encontro das noções de linguagem de Bakhtin (1992). Para ele, o confrontamento de idéias, de pensamentos em relação aos textos, tem sempre um caráter coletivo, social. O conhecimento é adquirido na interlocução, o qual evolui por meio do confronto, da contrariedade. 

A vida é dialógica por natureza. Viver significa participar de um diálogo: interrogar, escutar, responder, concordar, etc. Neste diálogo, o homem participa todo e com toda a sua vida: com os olhos, os lábios, as mãoes, a alma, o espírito, com o corpo todo, com as suas ações. ele se põe todo na palavra entra no tecido dialógico da exist6encia humana, no simpósio universal. (BAKHTIN, 1992, p112) E é partindo desta visão da interação social e do diálogo, que se pretende compreender a relevância da literatura infantil, que segundo afirma Coelho (2001, p.17), “é um fenômeno de linguagem resultante de uma experiência existencial, social e cultural.” 

Se os adultos adoram ouvir uma boa história, um “bom causo”, a criança é capaz de se interessar e gostar ainda mais por elas, já que sua capacidade de imaginar é mais intensa. A narrativa faz parte da vida da criança desde quando bebê, através da voz amada, dos acalantos e das canções de ninar, que mais tarde vão dando lugar às cantigas de roda, a narrativas curtas sobre crianças, animais ou natureza. Aqui, crianças bem pequenas, já demonstram seu interesse pelas histórias, batendo palmas, sorrindo, sentindo medo ou imitando algum personagem. Neste sentido, é fundamental para a formação da criança que ela ouça muitas histórias desde a mais tenra idade. 

Outro fato relevante é o vínculo afetivo que se estabelece entre o contador das histórias e a criança.compartilhar uma experiência gostosa, na descoberta do mundo das histórias e dos livros.  De acordo com Sandroni & Machado (1998, p.15) afirmam que “os livros aumentam muito o prazer de imaginar coisas. A partir de histórias simples, a criança começa a reconhecer e interpretar sua experiência da vida real”. 
Contar e ouvir uma história aconchegado a quem se ama é

É importante contar histórias mesmo para as crianças que já sabem ler, pois segundo Abramovich (1997, p.23) “quando a criança sabe ler é diferente sua relação com as histórias, porém, continua sentindo enorme prazer em ouvi-las”. Quando as crianças maiores ouvem as histórias, aprimoram a sua capacidade de imaginação, já que ouvi-las pode estimular o pensar, o desenhar, o escrever, o criar, o recriar. Num mundo hoje tão cheio de tecnologias, onde as informações estão tão prontas, a criança que não tiver a oportunidade de suscitar seu imaginário, poderá no futuro, ser um indivíduo sem criticidade, pouco criativo, sem sensibilidade para compreender a sua própria realidade. 

O contato da criança com o livro pode acontecer muito antes do que os adultos imaginam. Muitos pais acreditam que a criança que não sabe ler não se interessa por livros, portanto não precisa ter contato com eles. O que se percebe é bem ao contrário. Segundo Sandroni & Machado (2000, p.12) “a criança percebe desde muito cedo, que livro é uma coisa boa, que dá prazer”. As crianças bem pequenas interessam-se pelas cores, formas e figuras que os livros possuem e que mais tarde, darão significados a elas, identificando-as e nomeando-as. 

Portanto, a leitura deve ser incentivada desde cedo e seus benefícios são para toda a vida. Despertar o interesse da leitura desde cedo ajuda na formação do indivíduo crítico e de um leitor de qualidade. Para as crianças a leitura é muito importante já que elas se encontrar na fase da vida em que o cérebro está em maior atividade e o desenvolvimento é muito maior. Estou preparando mais posts como esse, acho que são assuntos de grande relevância. Eu não tenho filhos, sou muito novinha ainda, mas tenho uma irmã de 6 anos e muitas das coisas que leio e acho que são boas e podem apresentar bons resultados tento aplicar com a minha irmã. Agora estou tentando parar de falar não para ela, isso não quer dizer que não se deve negar nada a criança, mas vou explicar melhor em outro post, porque se deixar fico falando horas sobre isso e esse post já ficou muito longo. 

O conteúdo desse post e o texto completo pode ser encontrado no link abaixo:

Fotos: WeHeartIt

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

#100HappyDays

Oi, tudo bem? Semana passada foi meu aniversário e finalmente fiz 18 anos. Pra mim o aniversário, além de toda a festa, é um momento para parar e refletir principalmente sobre o que você quer que aconteça no próximo ano. Muitas pessoas têm esse momento no ano novo, mas acho que final de ano é uma época meio confusa e todos os planos e promessas acabam deixados de lado ou até mesmo esquecidos. Esse ano é um dos mais importantes da minha vida, principalmente porque é o meu ano de vestibular e tenho dedicado muito do meu tempo aos estudos, já que quero muito ir pra faculdade no ano que vem (vou falar mais sobre isso aqui no blog), mas também porque tenho andando mais determinada e querendo me conhecer cada vez mais.

Notei que tenho dedicado meu tempo livre pra estudar, claro que eu saio final de semana e faço outras coisas, mas o tempo que eu tenho em casa uso pra estudar e acabei deixando de lado coisas que gosto de fazer, principalmente ler. Estou há mais de dois meses na metade de um livro e não consegui separar um tempo para terminar de ler. Na verdade o que aconteceu não foi que eu não consegui separar um tempo, foi que dei prioridade a outras coisas, não que estudar não deva ser uma prioridade, claro que é, mas fazer coisas que te deixam feliz tem que ter tanta importância quanto.

Nesse contexto acabei conhecendo o 100 Happy Days, que tem uma proposta super legal. A ideia é postar todos os dias durante 100 dias uma foto de algo que te faz feliz, só de saber que existe esse "desafio" já fiquei feliz e por isso a primeira foto dos meus 100 dias foi do site deles (vou deixar o link no final do post). Além de ter achado super interessante, me juntei ao projeto porque quero dar mais valor ao que me faz feliz. As vezes coloco o foco nas coisas que dão errado ou me deixam triste e acabo esquecendo das tantas outras que me fazem feliz. Acho que esses 100 dias vão me ajudar a valorizar as pequenas coisas do cotidiano e colocar o foco nelas. Espero que você também tire um tempo para prestar atenção no que te faz feliz e acredite, só de pensar nessas coisas a felicidade vem, é quase instantâneo.

Para conhecer mais o projeto é só clicar AQUI

terça-feira, 29 de abril de 2014

Tudo acontece em Elizabethtown (filme)

Eiii, mais um filme que vi no feriado! Orlando Bloom e Kirsten Dunst novinhos e juntos em um filme cheio de romance.

Fico encantada com alguns personagens e a Claire (Kirsten Dunst) é dessas que encanta. Gosto quando a personagem mostra um jeito novo, único e próprio de ver o mundo e a vida, as vezes tento ser um pouco assim, a vida fica mais bonita. Esse filme mistura drama, comédia e romance de um jeito leve, com bastante cara de "filme para ver em uma tarde chuvosa de domingo" (amo esses filmes). A maneira como o casal principal se conhece, se encontra e decide ficar junto é fofa, foge das histórias que estamos acostumados, simples e cheia de um amor jovem e puro. Gostei muito!

Sinopse:

De Cameron Crowe vencedor do Oscar, este filme é "uma poderosa mistura de rock e comédia clássica romântica".

Orlando Bloom estrela esta comovente história, como Drew Baylor, um poderoso designer cuja vida se torna completamente descontrolada em um dia fatídico. Indo para Elizabethtown em virtude da morte do pai, Drew conhece Claire (Kirsten Dunst). Ela é bonita, tem um temperamento inabalavelmente positivo e decidiu ser a garota que vai guiar Drew de volta para casa e ensinar a ele o que significa viver e amar durante o caminho.

Este filme consegue transportar a todos nós até um lugar onde coração, humor, música incrível e uma inesquecível história se encontram...

Bem-vindos a Elizabethtown.


Espero que tirem um  tempinho para assistir esse filme lindo! Orlando lindo Bloom perfeito desde sempre haha Beijinhos

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Museu Nacional de Belas Artes (19/04)

Sou apaixonada por museus desde pequena. Meus pais contam que eu ficava quietinha, com as mãos pra trás olhando tudo. O engraçado é que tenho uma irmã de 6 anos que foi com a gente e fez tudo, menos ficar quieta, já dá pra perceber que museu não é a praia dela haha Fui ao Museu Nacional de Belas Artes com meus pais quando era pequena e nem lembro, então aproveitamos o feriado pra ir lá e ver a Primeira Bienal Internacional de Caricatura: J. Carlos, Kalixto e Cavalcante
 que vai ficar lá até o dia 27/04. Gostei muito da bienal e quem ainda não foi corre lá porque é a última semana. Felizmente não pegamos o museu lotado, o que foi muito bom, mas estranho já que na última vez que fui ao CCBB também era feriado e a fila dava volta no quarteirão, fui preparada pra ficar na fila e pegamos o museu vazio.

Tirando a bienal também tem a exposição fixa que fica no terceiro piso, vários quadros lindos do P. Américo e tem até um quadro da praia de Icaraí aqui em Niterói. Gosto de ir com a minha mãe porque ela pintava então percebe algumas coisas nos quadros que eu teria que olhar horas pra perceber, mas é legal pra ir com os amigos ou namorado. A minha dica é ir com tempo, o legal é ler os painéis falando sobre a exposição e sobre os artistas.

Visitação:
De terça à sexta das 10h às 18h e sábados, domingos e feriados das 12h às 17h.
Entrada franca.



segunda-feira, 21 de abril de 2014

Elefante (filme)

Oi :) Estou aproveitando o feriado para assistir alguns filmes que eu nunca ouvi falar! Simples assim, fui na locadora, peguei na estante e trouxe pra casa. O primeiro que assisti foi o Elefante ("Elephant").

É baseado no massacre de Columbine, que aconteceu em 1999 nos EUA, dois estudantes de 17 anos atiraram em vários alunos e professores. Essa escola era  famosa por não ter nenhum caso de violência registrado e muitas famílias se mudavam pra perto da escola para que seus filhos fossem matriculados lá. Essa tragédia foi brilhantemente recriada sob a direção de Gus Van Sant.

O que mais gostei no filme foi a simplicidade. É completamente diferente de todos os filmes que já vi. A maneira como ele mostra a vida normal e, as vezes, pacata dos estudantes fez com que a história ficasse mais real. Esse filme quebrou os padrões dos filmes americanos que mostram como o colegial é incrível, mostrou a realidade mesmo, algumas cenas são simplesmente os alunos caminhando pelos corredores da escola. A maneira como os dois jovens que realizaram o massacre se organizaram também mostra como, infelizmente, isso pode acontecer em qualquer lugar. Como o filme é "simples", a imagem se torna muito mais real, fiquei bem chocada.

Sinopse:
Ganhador dos prêmios Palma de Ouro e Melhor Diretor no Festival de Cannes de 2003, o drama realista de Gus Van Sant, Elefante nos leva para dentro de uma escola secundarista Americana em um dia comum, que rapidamente se torna trágico. A história se desdobra, cheia de tarefas em classe, futebol, fofocas e socialização. Observa as idas e vindas de seus personagens a uma distância segura, nos permitindo vê-los como eles são. Com cada estudante vemos a escola através de uma experiência diferente, uma nova lente. Estas experiências mudam de amigáveis e inocentes a traumáticas e muito perturbadoras.
Elefante demonstra que a vida nas escolas é uma complexa paisagem onde a vitalidade e a beleza de vidas jovens pode mudar da luz para a escuridão com velocidade surreal. É um dia comum em uma escola secundarista. Com exceção de que não é.

domingo, 20 de abril de 2014

Feriado!!!!

Sei que esse post deveria ter sido publicado na quinta, mas eu ainda não tinha tirado a foto dos filmes que aluguei pra ver nesse semana que vou ficar em casa. Decidi que não ia estudar no feriado, pretendo estudar durante a folga e não vamos ter outro feriado tão cedo, então estou aproveitando todo meu tempo livre para... dormir, ver filmes e sair com as minhas amigas. Infelizmente eu fiquei doente, então estou meio desanimada, com dores no corpo e todas as coisas chatas que acontecem quando você fica doente, acho que é uma gripe e espero que passe logo. Fui na locadora na quinta e peguei três filmes: Elefante, Tudo acontece em Elizabethtown e Adaptação. Os dois primeiros eu nunca tinha ouvido falar, peguei esperando que eles me surpreendessem (e deu certo!), já assisti e fiz resenha de cada um deles.

Espero que vocês estejam aproveitando o feriado com a família e amigos, ou até mesmo estudando, pra quem não está com a matéria em dia é uma ótima oportunidade pra dar um gás e alcançar os professores! Muito chocolate e amor pra vocês! Amanhã tem resenha! Beijinhos

sexta-feira, 18 de abril de 2014

As reações de um leitor

Acontece com todo mundo. Já parei de ler um livro na metade porque tive as seguintes reações:
1. Será que entendi direito?
2. Como é que é?!
3. Não é possível
4. Me recuso



b

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Capitão Phillips (filme)

Outro dia tive o prazer de assistir ao filme Capitão Phillips que tem nada mais, nada menos que Tom Hanks como protagonista. Não gosto muito de drama, mas assisti três recentemente não me arrependi de nenhum. Tenho me policiado para não deixar de ver algum filme só porque é drama e tirar da minha cabeça que não gosto do gênero, porque os filmes são diferentes, os atores são outros e podemos acabar nos surpreendendo com algo que dizemos não gostar. Conselho do dia: abra a mente!

O filme é baseado em fatos reais (o que eu adoro), gosto de saber que o filme passa realmente aconteceu, não foi algo que alguém inventou. Por favor, não estou dizendo que não gosto de ficção, adoro do mesmo jeito, mas quando fico sabendo que aquilo aconteceu de verdade meio que tendo me imaginar vivendo aquelas situações, pensando e refletindo no que eu faria igual ou diferente. 

O filme mostra momentos de extrema tensão, já que se trata de um sequestro acho que não tem como não ser tenso, mas a forma como foi filmado, bem de pertinho, fez com que eu me sentisse dentro do bote juntos com os atores. Todos aqui em casa ficaram tensos vendo o filme, o engraçado é que falamos muito e durante o filme não falamos praticamente nada, eu olhava para a minha mãe e ela estava séria e aflita, essa é a sensação que o filme passa. 

Sinopse:
Richard Phillips (Tom Hanks) é um comandante naval experiente, que aceita trabalhar com uma nova equipe na missão de entregar mercadorias e alimentos para o povo somaliano. Logo no início do trajeto, ele recebe a mensagem de que piratas têm atuado com frequência nos mares por onde devem passar. A situação não demora a se concretizar, quando dois barcos chegam perto do cargueiro, com oito somalianos armados, exigindo todo o dinheiro a bordo. Uma estratégia inicial faz com que os agressores recuem, apenas para retornar no dia seguinte. Embora Phillips utilize todos os procedimentos possíveis para dispersar os inimigos, eles conseguem subir à bordo, ameaçando a vida de todos. Quando pensa ter conseguido negociar com os piratas, o comandante é levado como refém em um pequeno bote. Começa uma longa e tensa negociação entre os sequestradores e os serviços especiais americanos, para tentar salvar o capitão antes que seja tarde.
Curiosidades: (fonte: Adoro Cinema)
  • Baseado no livro "A Captain's Duty : Somali Pirates, Navy SEALs, and Dangerous Days at Sea", escrito pelo verdadeiro Richard Phillips.
  • Em abril de 2009, o capitão Richard Phillips e a tripulação do navio Maersk Alabama foram sequestrados por piratas somalis.
  • A produção tentou conseguir o navio Maersk Alabama para as filmagens, mas acabou utilizando um porta-contêineres bastante similar ao original.
  • A equipe de Capitão Phillips filmou durante 60 dias a bordo de um navio.
  • Em entrevista, Tom Hanks revelou que o seu primeiro contato com os intérpretes dos piratas foi somente na hora de realizar as filmagens.
  • Para criar uma história autêntica, mais próxima da realidade, o diretor Paul Greengrass decidiu filmar perto dos atores, com a câmera nos ombros.
 Gostei muito do filme, quase chorei em uma parte (o que raramente acontece) e estou aqui falando que se tiver oportunidade assista, é muito bom!

quarta-feira, 26 de março de 2014

A importância da leitura

Sábado passado fui fazer um simulado na escola e me deparei com um texto na questão 62, o número da questão não faz diferença, o que importa é a mensagem que o texto passa. Tenho uma irmã de 6 anos, que está aprendendo a ler, no momento ela consegue ler a maioria das palavras, mas existem aquelas que ela pede ajuda e é fofinho as vezes. Ler é algo tão fundamental que não consigo imaginar a minha vida se não pudesse ler o rótulo de um produto, uma placa, uma carta ou sem mandar mensagens. Não consigo imaginar como ainda existem pessoas analfabetas até hoje, é muito triste e espero que isso mude. Ler, pra mim e provavelmente pra você também, já que está lendo isso, é algo tão automático, faz parte da nossa rotina de maneira tão tão frequente que já nem damos o valor que deveríamos dar. Devemos lembrar da sorte que tivemos em vários aspectos para que em algum momento da nossa vida tivéssemos a oportunidade de aprendermos a ler e escrever, porque existem pessoas que não tiveram a mesma sorte. 



O texto a seguir apareceu na questão do simulado que comentei no começo do post e fala sobre a importância da leitura na infância. Foi tirado do site Educar para crescer e o link da postagem está logo abaixo do texto.

     Pesquisas do mundo todo mostram que a criança que lê e tem contato com a literatura desde cedo, principalmente se for com o acompanhamento dos pais, é beneficiada em diversos sentidos: ela aprende melhor, pronuncia melhor as palavras e se comunica melhor de forma geral. "Por meio da leitura, a criança desenvolve a criatividade, a imaginação e adquire cultura, conhecimentos e valores", diz Márcia Tim, professora de literatura do Colégio Augusto Laranja, de São Paulo (SP).
     A leitura frequente ajuda a criar familiaridade com o mundo da escrita. A proximidade com o mundo da escrita, por sua vez, facilita a alfabetização e ajuda em todas as disciplinas, já que o principal suporte para o aprendizado na escola é o livro didático. Ler também é importante porque ajuda a fixar a grafia correta das palavras.
        Quem é acostumado à leitura desde bebezinho se torna muito mais preparado para os estudos, para o trabalho e para a vida. Isso quer dizer que o contato com os livros pode mudar o futuro dos seus filhos. Parece exagero? Nos Estados Unidos, por exemplo, a Fundação Nacional de Leitura Infantil (National Children's Reading Foundation) garante que, para a criança de 0 a 5 anos, cada ano ouvindo historinhas e folheando livros equivale a 50 mil dólares a mais na sua futura renda. 
http://educarparacrescer.abril.com.br/leitura/importancia-leitura-521213.shtml


quarta-feira, 19 de março de 2014

O sobrinho do mago - As Crônicas de Nárnia livro 1 (resenha)

Depois de anos e anos na estante do meu quarto resolvi dar uma chance para As Crônicas de Nárnia. Tenho aquela edição volume único que é super prática, mas as letras são bem pequenas, se você não curte se perder nas linhas as vezes melhor comprar a edição normal de cada livro. Ganhei o livro dos meus pais em 2006 perto do meu aniversário de 10 anos. Lembro de ter lido o livro 1 e começado o 2, mas não tinha entendido nada, por isso larguei o livro e só fui perder essa "vontade de não continuar lendo" agora. Não achei o livro complicado, acho que a minha leitura na época não era tão treinada para ler livros tão grandes e o meu vocabulário também não era dos melhores, afinal eu tinha 10 anos né?! Mas agora li o Sobrinho do mago que é o primeiro de oito livros e estou encantada com a história.


Sou péssima em fazer "resuminhos", acabo contando alguma coisa importante que a pessoa deveria descobrir lendo, mas posso dizer que muitas coisas são explicadas nesse livro. Sei que várias pessoas pulando o livro 1 e vão direto para O leão, a feiticeira e o guarda-roupa, mas o livro uma explica o origem de Nárnia (como foi criada, como os animais começaram a falar), de onde veio o guarda-roupa (porque ele é um portal pra Nárnia, como foi feito) e de onde saiu a feiticeira (de onde ela tirou tanta maldade, de que mundo veio e como foi parar em Nárnia). Devo ter visto o filme umas duas vezes, mas infelizmente esqueço rápido os detalhes, então realmente não lembro se essas coisas são bem explicadas no filme, acredito que não. Assim que ler o livro 2 vou assistir ao filme e faço uma comparação livro x filme.

Só sei que saber de onde veio tudo e como começou foi algo que gostei muito e me deu vontade de continuar lendo! Pra não ficar lendo só As Crônicas de Nárnia nas próximas semanas resolvi que vou intercalar com outros livros, assim consigo falar sobre livros diferentes aqui no blog.

Dados do livro:
Título: O sobrinho do mago
Autor: C. S. Lewis
Editora: Martins Fontes
Preços:
Volume único: Saraiva (cliquei AQUI) - R$ 99,00
                        Livraria da Travessa (clique AQUI) - R$ 99,00
O sobrinho do mago - Saraiva (clique AQUI) - R$ 22,40
                                    Livraria da Travessa (clique AQUI) - R$ 29,80

quarta-feira, 12 de março de 2014

20 coisas para começar a fazer

Achei essa listinha com 20 coisas para começar a fazer e achei que tem vários itens legais que eu gostaria de começar a seguir e outros que já tento seguir tem um tempinho. A tradução da lista está logo abaixo da imagem e estão marcados de amarelo as coisas que eu ainda não faço, mas gostaria de começar a fazer e de rosa coisas que já faço.



1. Beba muita água e chá verde
2. Comer um grande café da manhã, um médio almoço e um pequeno jantar
3. Comer frutas e legumes e alimentos naturais
4. Ir para uma caminhada, mergulho, passeio de bicicleta
5. Ler um livro
6. Ir para a cama mais cedo

7. Parar de pensar pensamentos negativos sobre si mesmo ou aos outros
8. Não se debruçar sobre o passado, transformá-lo em arte
9. Desfrutar de pequenas coisas da vida
10. Não julgar ou comparar-se aos outros
11. Começar yoga ou meditação
12. Não coloque as coisas fora
13. Evitar alimentos processados
14. Esticar diariamente para aumentar a flexibilidade
15. Ouvir músicas calmas
16. Viver em um espaço arrumado
17. Usar roupas que fazem você feliz
18. Jogar fora as coisas que você não precisa
19. Lembre-se que todo o esforço que você está fazendo agora vai ser retribuído no final
20. Sair mais

Essa lista é boa para que façamos uma reflexão sobre o que temos feito da vida. São coisas simples que você pode mudar sozinho e só depende de você. Nenhum item dessa listas precisa de outra pessoa para te "ajudar". A meditação já me ajudou algumas vezes, acho que meditei umas 4 ou 5 vezes desde o começo desse ano e depois de cada uma delas eu me senti melhor do que antes de ter começado a meditar, não sei porque parei, mas quero muito voltar! Agora é hora de você dar uma olhada na listinha e ver o que você acha que pode seguir e te ajuda.

segunda-feira, 10 de março de 2014

A probabilidade estatística do AMOR à primeira vista (resenha)

Sabe aquele livro que você vai lendo e quando vê está na última página? Foi assim que aconteceu com A probabilidade estatística do amor à primeira vista. Comecei a ler em um dia e só não passei a madrugada lendo porque não dormia direito há três dias, mas terminei no dia seguinte. Normalmente demoro para ler, porque leio devagar mesmo e acabo não prestando atenção nos detalhes se for ler rápido.

Quando comecei a ler achei que fosse ser mais um livrinho de romance, no meio eu pensei "já sei o final", mas ai as coisas não aconteceram como achei que fossem acontecer. Adoro quando o livro parece ter um final clichê e acaba me surpreendendo.

A história é a seguinte...
Os pais da Hadley se separam porque o pai se apaixona por uma outra mulher e vai morar em Londres, com isso ela acaba ficando um ano sem ver o pai e quando finalmente vai para Londres é para ir ao casamento do pai com a futura madrasta. Isso não a deixa nem um pouco feliz, mas a mãe insiste e ela acaba indo torcendo para chegar a hora de voltar pra casa. As coisas vão acontecendo, o destino vai acontecendo, e no final a viagem acaba sendo completamente surpreendente e diferente do terror que ela esperava que fosse.

O vocabulário é bem tranquilo e o jeito como o texto é escrito é leve e por isso a leitura não é daquelas que você conta quantas páginas faltam para o capítulo acabar. Sou daquelas que fica meio triste quando gosto de um livro, termino de ler e não existe uma continuação. Esse livro me deixou com esse gostinho de quero mais que é muito bom!

Vamos aos dados do livro:
Título: A probabilidade estatística do amor à primeira vista
Autora: Jennifer E. Smith
Editora: Galera record
Preço: comprei em uma loja física da Saraiva por R$ 30,00, mas no site está por R$ 25,00. Se para sua cidade o frete é grátis é mais jogo comprar online e esperar uns dias até que o livro chegue na sua casa.

Primeiro post

Oi, meu nome é Bianca. Fiquei dois anos escrevendo no blog Tchau Galochas sobre moda, esmalte, look do dia e um monte de outras coisas que me interessavam, mas vou explicar o que aconteceu. Não é que do nada eu tenha parado de me interessar por todas essas coisas, mas é que no momento não faz mais sentido pra mim escrever sobre elas, não tenho tido vontade de falar sobre essas coisas. O que estava acontecendo era que como eu não tinha vontade de escrever acabava deixando pra depois e o blog ficava duas, três semanas sem ser atualizado. Isso não é legal, porque para que um blog dê certo quem escreve deve atualizar nem que seja uma vez por semana. Fiquei nesse vai e vem com o blog Tchau Galochas no último ano, sempre que ficava muito tempo sem escrever voltava com um post pedindo desculpas e dando um monte de desculpas que na verdade só serviam pra me enganar, já que não escrevia porque não sentia vontade de escrever.

Essa semana tomei a decisão de que vou começar um novo projeto que é o Unicórnios Literários, um blog onde vou falar basicamente sobre livros e filmes. Não quer dizer que não vá aparecer um post sobre moda por aqui, mas se aparecer provavelmente estará relacionado ao figurino de um filme, por exemplo. Não continuei com o blog antigo porque ele já tinha um "perfil" e não fazia sentido pra mim começar a escrever sobre coisas que não escrevia antes por lá, por isso criei um blog novo. Estou muito animada e preparando vários posts. Não vou ficar fazendo promessas como "vou postar duas vezes por semana nos dias X e Y", porque já percebi que isso não funciona pra mim, mas posso prometer que toda vez que o blog for atualizado será porque eu fiquei com vontade de escrever e não porque é uma obrigação, assim os posts terão mais conteúdo e qualidade. 

Tenho lido muitos livros legais e voltei a escrever, então espero fazer muitos posts!