segunda-feira, 18 de maio de 2015

A infância mais bela #2 - Brincar é urgente!

A importância de brincar


Brincar faz parte da infância e tem grande importância para o desenvolvimento das crianças. Atualmente temos dois tipos de privação do brincar, o primeiro caso é composto por crianças que infelizmente perdem essa parte da infância porque precisam trabalhar e o segundo caso é o oposto, crianças de pais com uma boa situação econômica e que colocam essas crianças em mil e uma atividades complementares, além da escola. Ballet, inglês, sapateado, luta, teatro. Nessa correria acaba ficando difícil separar um tempo para a brincadeira. Sei que a intenção dos pais ao colocar os filhos nessas atividades é, na maior parte dos casos, boa, sempre pensando no melhor que podem oferecer aos filhos. Mas nos dois casos as crianças chegam em casa exaustas e a pergunta central é: onde fica o espaço para a brincadeira no meio dessas rotinas? E por que esse tempo é tão importante?

A criança passa por diferentes tipos de interação social e contexto ambiental, passando por um período de desenvolvimento que lhe permite aprender inúmeras habilidades que serão úteis na vida adulta. No início a criança brinca sozinha, depois lado a lado com outras crianças e, por fim, vem a interação social que envolve cooperação e troca de papéis. É comum pensar que a principal função da brincadeira é preparar o indivíduo para o futuro, tanto em animais como em seres humanos (Smith, 1982). No entanto, a brincadeira em animais pode ter efeito a curto prazo também (Martin e Caro, 1985). Em seres humanos, sugere-se que diferentes formas de comportamentos envolvidos na brincadeira podem ter consequência a curto prazo no desenvolvimento infantil, como por exemplo, aprimoramento no controle de padrões motores, resistência e força física (Pellegrini e Smith, 1998).

Segundo Vygotsky (1989) - um dos autores que embasam teoricamente a proposta pedagógica da Creche Francesca Zacaro Faraco - o brincar cria a chamada zona de desenvolvimento proximal, impulsionando a criança para além do estágio de desenvolvimento que ela já atingiu. Ao brincar, a criança se apresenta além do esperado para a sua idade e mais além do seu comportamento habitual. Para Vygotsky, o brincar também libera a criança das limitações do mundo real, permitindo que ela crie situações imaginárias. Ao mesmo tempo é uma ação simbólica essencialmente social, que depende das expectativas e convenções presentes na cultura. Quando duas crianças brincam de ser um bebê e uma mãe, por exemplo, elas fazem uso da imaginação, mas, ao mesmo tempo, não podem se comportar de qualquer forma; devem, sim, obedecer às regras do comportamento esperado para um bebê e uma mãe, dentro de sua cultura. Caso não o façam, correm o risco de não serem compreendidas pelo companheiro de brincadeira.

Durante a brincadeira a criança coloca em prática a sua cultura, aprende a se comportar em diversas situações através do muito conhecido "faz de conta". Brincando com outras crianças ela aprende a compartilhar, respeitar o próximo e a negociar, três práticas importantíssimas durante toda a vida do indivíduo. A brincadeira também é um meio de expressão da criança, ali ela pode ser o que quiser e viver situações imaginárias onde pode explorar, vivenciar e criar.

É muito importante que os adultos tentem resgatar o espírito do brincar, para que possam participar também desse processo do desenvolvimento das crianças, mas infelizmente, a boneca que era tudo quando éramos pequenos perde a magia e é importante que vivenciemos isso enquanto crianças, porque não sei exatamente em que momento, esse encantamento se perde. Têm uma frase que eu gosto muito, escutei no documentário Tarja Branca, que tem resenha aqui no blog, que é: Brinca é urgente! E eu digo mais, brincar é garantido pela Constituição, então vamos fazer o possível para que todas as crianças tenham essa prática no cotidiano.


Referências:
http://www.ufrgs.br/creche/a-unidade/psicologia-1/a-importancia-do-brincar-para-o-desenvolvimento-infantil
http://educador.brasilescola.com/comportamento/a-importancia-brincar.htm
Texto: Contribuições da Etologia para a compreensão do comportamento humano (Mauro L. Vieira)